Diante de seus olhos, ela viu centenas de pessoas morrerem. E em meio à dor, revela como cada morte moldou a sua vida


Caso você queira ser enfermeiro, deve ter em mente que não é uma profissão fácil — você deve ter um coração e um estômago fortíssimos. A enfermeira Bronnie Ware passou anos em campo, e seu trabalho principal era deixar os pacientes confortáveis antes de seus momentos finais.

Seu trabalho a rendeu centenas de lições e histórias sobre pessoas em seu leito de morte, mas ela não se deprime por isso. ” Ver as pessoas morrerem não me deixa triste — na verdade, me ensina a viver”, confessou. 



Com toda essa experiência, ela pôde melhorar muito como pessoa, e dividiu conosco o que aprendeu sobre os cinco principais e mais fortes arrependimentos das pessoas em seu leito de morte. Confira:

1 – Eu queria ter tido coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não ao que os outros esperavam de mim

“Este foi o arrependimento mais comum de todos. Quando as pessoas percebem que sua vida está quase acabando e olha para trás, é fácil ver quantos sonhos não foram cumpridos. A maioria das pessoas não honrou nem metade de seus sonhos e tiveram que morrer sabendo que era devido às escolhas que tinham feito ou não. A saúde traz uma liberdade que poucos percebem, até que eles não a tenham mais.” – Bronnie Ware

2 – Eu queria não ter trabalhado tanto.

Não é necessário nem explicações — esse fala por si só.

3 – Eu queria ter tido coragem de expressar meus sentimentos.

“Muitas pessoas suprimem seus sentimentos para manter a paz com os outros. Como resultado, eles se estabeleceram para uma existência medíocre e nunca se tornaram quem eles realmente eram capazes de se tornar.” – Bronnie Ware

4 – Eu queria não ter me afastado dos meus amigos.

Segundo Bronnie, todos sentem falta dos amigos quando estão morrendo.

5 – Eu queria ter me permitido ser feliz.

“Isso é surpreendentemente comum. Muitos não perceberam até o fim que a felicidade é uma escolha. Eles ficaram presos em velhos padrões e hábitos. O chamado “conforto” da familiaridade transbordou em suas emoções, bem como suas vidas físicas. O medo da mudança fez com que eles fingissem para os outros, e para eles mesmos, que estavam satisfeitos, quando estavam profundamente dentro, eles desejavam rir adequadamente e terem loucos em sua vida novamente. “- Bronnie Ware

Fortíssimo, não? Impossível não se sentir tocado. Você se identificou com algum sentimento da lista? Não deixe para a última hora — aproveite enquanto você ainda tem tempo e saúde. A vida não é para sempre!